Press "Enter" to skip to content

5 ETAPAS DE UM PROJETO DE SUCESSO

2

Sabe aquela sensação de saber exatamente o que tem de ser feito quando você recebe um novo desafio, um novo projeto, um novo pedido?

projeto de sucesso

E logo, percebe que aquilo foi feito para você e se enche de planos. A sua imaginação te leva para tudo que poderá implantar, os novos aprendizados que virão e os lucros que serão gerados.

Você sente as ideias fluírem dentro de você, está convicto de que executará a tarefa perfeitamente, e  já se imagina dentro do projeto, criando, desenhando e calculando tudo.

Isso já aconteceu com você?

Masss… você conhece sua empresa, conhece os problema de outros projetos e sabe que alguma coisa não vai dar certo, que algo vai enroscar.

E aí pode surgir medo de que alguma coisa não seja executada corretamente, que alguma especificação não seja atendida ou que os prazos não sejam respeitados.

Você se lembra do que aconteceu “naquele último projeto”, estressante, atrasado e cheio de revisões de última hora.

Mas afinal o que acontece de errado?

  • Estresse;
  • Atraso;
  • Revisões e mais revisões;
  • Desperdício de Tempo;
  • Desperdício de Dinheiro;

Você se identifica com os estes problemas? 

Se sim… ou já passou por isso em algum momento durante o desenvolvimento de algum projeto, então acredito que somos muitos parecidos.

Por isso eu resolvi criar este artigo, foi pensando no que funcionou pra mim, nos últimos 13 anos a frente da minha equipe.

Foi  pensando em  inúmeros profissionais que, assim como eu… Não querem mais que as coisas deem errado, querem que seus  projetos finalizem no prazo, mas não querem gastar anos estudando uma MBA para se tornar um Gerente de Projetos.

Este artigo é para você que quer resultados práticos e rápidos, sem perder tempo com burocracia.

Então, se não quer mais que isso aconteça com você, continue lendo as  5 etapas de um projeto de sucesso.

#1 – Iniciação – Muito prazer, eu sou um novo projeto
#2 – Planejar – O caminho para o sucesso
#3 – Executar – A hora de pôr a mão na massa
#4 – Medir – Estamos indo muito rápido ou muito devagar?
#5 – Finalizar – mas ainda não acabou?

#1 – Iniciação – Muito Prazer, Eu Sou Um Novo Projeto
Gerenciamento de projeto

Pode soar estranho classificar “Iniciação” como uma etapa do projeto, afinal você recebeu o pedido vindo do departamento comercial, então mãos a obra, é só começar a trabalhar.

O tio aqui adverti… NUNCA FAÇA ISSO !!!!

A etapa de iniciação consiste em formalizar o início do projeto. Não tem como dizer onde se quer chegar, como chegar e quando chegar sem que seja dado um início.

Por mais que seu novo desafio seja o mais simples de todos reúna a equipe envolvida, faça uma reunião de iniciação, mesmo que breve e crie uma ATA! 

Será na reunião de iniciação (ou abertura) que o departamento comercial irá transferir à equipe de projetos todas as informações necessárias para a execução,

A equipe técnica tomará ciência do contrato assinado, prazo de entrega e custos envolvidos.

4 Assuntos Que Não Devem Ser Tratados Na Reunião De Iniciação De Um Novo Projeto
Gerenciamento de projeto

Mesmo que seja algo óbvio, você não pode ignorar o quarto:

  1. Não é possível atender o prazo;
  2. A equipe não está preparada;
  3. O projeto irá custar mais que o previsto;
  4. O projeto não é viável;

E porque esses assuntos não devem entrar na Reunião de Abertura?
Simples! Eles serão tratados na fase 2 – Planejar. Está será a fase de olhar para o que pode dar errado.

Então afinal o que deve ser assunto na reunião de abertura?

São cinco tópicos fundamentais:

  1. Qual o prazo de entrega;
  2. Quais são as pessoas de contato (principalmente do cliente);
  3. Quais produtos ou serviços similares existentes;
  4. Quais especificações devem ser atendidas (normas, contratos, eficiência, qualidade…);
  5. Qual o orçamento do projeto;

Se você discutir os tópicos acima ficará fácil transmitir a informação para todos os envolvidos, a reunião terá foco e ninguém perderá tempo.

Para finalizar a fase de iniciação, é muito importante organizar as ideias antes de seguir adiante. E colocar seu objetivo de forma visual é a melhor forma de passar seu objetivo adiante.

Para saber mais detalhes de como fazer uma reunião de iniciação > clique aqui

#2 – Planejar – O Caminho Para o Sucesso
Gerenciamento de projeto

Ao longo da minha carreira, tive a oportunidade de trabalhar com profissionais de inúmeros outros países, desde projetistas e engenheiros a CEOs.

E quanto mais contato eu tenho com eles mais uma coisa fica mais clara para mim – Profissionais brasileiros não gostam de planejar, em especial o pequeno empresário.  

O empresário brasileiro não gosta de planejamento, nunca há tempo nem dinheiro para o planejamento mas sobra para refazer e remendar o que poderia ter sido evitado.

Retrabalhos são tratados como algo normal na nossa cultura ( foi difícil eu aceitar isso 🙂 ). As grandes empresas pensam mais antes de começar a execução, não exatamente por possuir uma cultura diferenciada, mas sim porque para elas o retrabalho dói mais no bolso.

Se você é empresário e não quer mais perder dinheiro ou se você é um profissional e quer aprender como conquistar seu chefe continue lendo este artigo…

Sem dúvida o brasileiro é um povo sensacional, nossos profissionais são simplesmente incríveis com uma habilidade tremenda de criação. A falta de planejamento admite que nós possamos ter muito mais flexibilidade, isso simplesmente encanta os “gringos”.

Mas por outro lado, essa mesma flexibilidade ao extremo (ou jeitinho brasileiro) acaba estragando tudo e irrita os estrangeiros, pois estamos sempre fazendo retrabalhos, há sempre um resto “a fazer”.

Então que tal juntar o melhor dos dois?

4 Mudanças de Pensamentos Para um Planejamento Perfeito
Gerenciamento de projeto

No tópico anterior discutimos como fazer a iniciação do projeto, agora você deverá passar para a segunda etapa fundamental: Planejar.

Também no tópico anterior comentei o que não deve ser discutido na reunião de abertura e é exatamente daí que partimos para o nosso planejamento, porém vamos mudar um pouco a forma de pensar

  • Não é possível atender o prazo;
  • A equipe não está preparada;
  • O projeto irá custar mais que o previsto;
  • O projeto não é viável;

E esse novo pensamento é que nos dá o material necessário para montarmos nosso planejamento:

1 – Em vez de “Não é possível atender o prazo” que tal mudarmos o assunto para o que precisamos fazer para atender o prazo?

Esta simples mudança fará com que a nossa mente se abra para outras questões como:

  • Temos pessoas suficientes?
  • Vamos precisar de horas extras?
  • Qual a prioridade deste projeto em relação aos demais em andamento?

2 – Em vez de “A equipe não está preparada” mude seu pensamento para:

  • O que é necessário para preparar a sua equipe?
  • Será que precisam de um treinamento?
  • Precisam aprender um novo software?
  • Preciso contratar um especialista ou uma consultoria?

Você já deve ter entendido o espírito da coisa, mas vale a pena continuar pois essas perguntas são aquelas que nos darão as respostas para o nosso planejamento ser feito com maestria.

(Não estou brincando, FUNCIONA!)

3 – Em vez de “O projeto irá custar mais que o previsto” pergunte-se:

O que há disponível para ser usado na redução de custos, mesmo que o projeto tenha um orçamento satisfatório, aqui vale a pena reunir a sua equipe para um bate papo, ver outros pontos de vista, pessoas com outras visões.

Se você não é um gestor, reúna-se com outros profissionais de dentro e fora do departamento.

4 – Para “O projeto não é viável” vale um adendo,

Escrevi este parágrafo pois para algumas empresas o departamento de desenvolvimento pode chegar nesse mérito, se o projeto é ou não viável, mas isso na fase de orçamento?..

Pense, se você está na fase de planejamento é porque ele já foi vendido, não perca seu tempo se lamentando de uma venda ruim,

Gaste suas energias pensando em como transformá-lo em atrativo, transforme-o em um projeto viável, será muito mais produtivo e aprenderá com o processo!

Nesse momento você pode estar pensando que a sua leitura virou num livro de auto ajuda, mas tenha certeza, tudo tem uma explicação e ela vem logo a seguir.

O Escopo do Projeto – A Base Para o Projeto de Sucesso
Gerenciamento de projeto

Com todas essas respostas em mãos, é hora de criar seu Escopo do Projeto. Este documento é tão importante que mais de 60% dos projetos FALHAM por escopos mal desenvolvidos.

Você quer dor de cabeça futura? Não? Então tire um tempo para preencher seu o escopo.

1 – Todo projeto precisa de um nome

Algo único, que o identifique.

Eu sempre fui contra chamar um produto apenas por siglas e números, isso tira o encanto da criação, mas todo projetista se sente “pai” de seu projeto, então incentive esse lado da sua equipe dando a eles o  batizado do “filho”,

Isso fará parte da motivação criativa, entusiasmo e comprometimento com o resultado.

2 – É preciso saber onde chegar

Esta é sua meta,  mas só se chega a algum lugar sabendo onde você está agora. E você está só no começo, por isso seu escopo precisa ter uma data de início

Quando o seu projeto estiver em andamento a data de início dará a noção de tempo gasto a sua equipe.

3- Descrição do projeto

Essa é a etapa que mais tira o sono. O que você inserir nesse campo será visto como a receita do bolo, então vale bastante a atenção. Costumo dizer que, se você precisa explicar muito como algo deve ser, é porquê você ainda não se convenceu de como deve funcionar.

Utilize termos fáceis que descreverão seu projeto. A simplicidade, clareza e descrição direto ao ponto são as melhores dicas para descrever seu projeto.

4 – Por alguma razão você irá criar esse projeto.

Qual é essa razão? A resposta é sua Premissa do Projeto.

Por exemplo: Qual a produção diária? Qual a vida útil? Em qual língua será operado o equipamento?

5 – As Restrições que envolvem a execução do projeto.

Seu escopo deverá contar com um campo que descreva qual o orçamento máximo disponível, data de entrega, dimensões máximas e mínimas, etc.

Correr riscos faz parte de qualquer projeto, não quer correr risco? Então não faça projetos…

Deixar um campo reservado para os Riscos principais é essencial para uma tomada de decisão.

Caso algo dê errado e já tenha sido esperado, a tomada de uma solução fica muito mais fácil.

Por exemplo: O responsável do projeto ficou doente, há outro profissional treinado presente na empresa que poderá migrar para o projeto?

6 – Nunca deixe nada subentendido

Elimine suposições do seu projeto.

Eu canso de ver erros em projeto onde o discurso foi: “eu pensei que era isso”. Não permita que isso ocorra com seu projeto.

Os campos de O que faz parte do Escopo e O que não faz parte do escopo descrevem com clareza o que contempla ou não no projeto.

A instalação está inclusa no orçamento? Um manual em língua estrangeira? Fornecedores específicos, fornecedores vetados… Visita ao cliente para levantamento de dados? Se sim, quantas? Transporte por conta do cliente?

7 – Quem são os envolvidos

É uma frase antiga e não muito bonita, mas é a melhor que eu conheço: “dê nome aos bois”.

No escopo deverá ser declarado quem são os envolvidos no projeto, para grandes equipes você poderá simplificar apenas nomeando os responsáveis pelos departamentos.

8 – Por fim, mas não menos importante

A formalidade. Os principais envolvidos assinam o documento.

Cronograma – O Caminho Trilhado Para Seu Objetivo
Objetivo

O Cronograma do Projeto é o seu melhor amigo, seu mapa do tesouro e o X marca o sucesso do seu projeto.

Um cronograma nada mais é que dividir em etapas intermediárias, dessa forma, a cada finalização, há como mensurar como está o andamento (veremos mais detalhes na 4ª etapa: Medir).

Minha dica para o Cronograma da mesma forma para todo o projeto – Use e abuse de ferramentas visuais, elas facilitam e muito a visualização dos objetivos e resultados.

Veremos em outros artigos muitos métodos que auxiliam a gestão de projeto, para o cronograma hoje quero apresentar o Mapa de Gantt (ou Diagrama de Gantt), escolhi esta pois é a que mais gosto.

O Mapa de Gantt foi desenvolvido pelo engenheiro americano Henry Laurence Gantt, que foi nada menos que chefe de produção de Taylor durante a revolução industrial.

Existem inúmeras ferramentas pagas, gratuitas, on-line e mobile apps com esta finalidade, por exemplo aqui no Clube do Projetista a ferramenta que mais utilizamos é uma Planilha em Excel.

Isso mesmo!

Uma planilha que eu mesmo desenvolvi para gerenciamento de projetos, Clique aqui para baixar 
Inclusive fiz um vídeo de 50 minutos ensinando como usar (OMG)… Sei que é muito tempo mas é praticamente um curso Prático de Gerenciamento de Projetos 🙂 

O Mapa de Gantt assim MS Project e outras ferramentas serão temas de artigos futuros 😉

Seguindo…

Para seu cronograma, há algumas formas que facilitam como ele deverá ser dividido.

Quanto menor forem as etapas mais preciso será seu planejamento, em contrapartida mais difícil de administrar ele será e se estamos falando de um projeto que irá durar 1 semana, vale a pena detalhar tarefas de 1 hora de duração ou até menos.

Por outro lado, se estamos planejando um projeto de 1 ano, detalhar tarefas de 1 hora de duração normalmente não é viável, pois serão difíceis de gerenciar.

Costumo dizer que tarefas com duração menor que 5% do projeto total só deverão ser detalhadas em casos extremamente importantes, em outras situações é melhor concatena-la com outras similares.

Exemplo – Mapa de Gantt na prática

Você é um pai de família e deseja realizar uma reforma em seu quarto onde a intenção é trocar a iluminação do cômodo pois sua esposa não está feliz com o atual.

Ela está viajando e retorna em 7 dias, você quer fazer uma surpresa a ela, para ter certeza que será capaz de terminar antes que ela retorne você cria um cronograma com seus afazeres.

Você realizará o trabalha depois que chegar do trabalho, então dispões apenas de 2 horas diárias para o trabalho, mesmo que seja realizado por terceiros pois você terá de estar em casa quando eles estiverem trabalhando.

Então vamos a sua lista de tarefas:

Compra (aquisição):

  • 1 lampada, 10 mts de conduíte, 20 mts de condutor, 1 interruptor, 1 lustre, 1 saco de cimento, 1 lata de tinta e 1 pincel.

Contratação (terceiros):

  • 1 eletricista e 1 pedreiro (você negociou que o pedreiro fará também a pintura) 

 De antemão peço desculpas aos pedreiros e eletricistas, realmente não tenho noção quanto ao tempo gasto nestas tarefas, mas a intenção aqui ilustrar o problema.

Gerenciamento de projeto

Analisando o Cronograma acima é possível notar uma quantidade grande de tarefas para um trabalho relativamente simples.

Agora Imagine como seria o detalhamento de tarefas em um cronograma de desenvolvimento de um grande projeto.

Durante a etapa de execução, o responsável pelo gerenciamento do projeto deve atualizar as tarefas com os tempos reais gastos, isso quer dizer que por exemplo a Tarefa “Comprar Lâmpada” dure 6 min em vez de 5 min, você teria de voltar ao Cronograma e atualizar o tempo gasto e analisar o impacto (se irá ou não influenciar a entrega final.

Imagine a loucura que seria gerenciar este cronograma.

É por isso que digo que tarefas com tempos inferiores a 5% do tempo total devem ser evitadas. Dessa forma nosso exemplo acima ficaria:

Gerenciamento de Projeto

Perceba como fica muito mais simples gerenciar o cronograma.

Fica mais fácil para o nosso cérebro analisar se será ou não possível atender aos prazos estabelecidos.

Perceba também que mantemos a tarefa “Testes”, mesmo esta tendo apenas 5 min de duração, pois ela marca a conclusão do cronograma, inclusive os marcos são pontos importantes em um cronograma e, nesse caso, deve ser mantido.

Está gostando do artigo? Aproveite e deixe o seu e-mail abaixo para receber conteúdo exclusivo. É GRÁTIS!

#3 – Executar – A Hora de Pôr a Mão Na Massa
Gerenciamento de projeto

O momento de “pôr a mão na massa” é muito esperado, principalmente se você, assim como eu, AMA projetos.

Projetar, executar, ver acontecer!!

Simplesmente me enche de motivação só de pensar em um novo projeto.

Mas todos envolvidos estão motivados e determinados quanto você?

Infelizmente um projeto, normalmente, não é executado por uma única pessoa motivada e tão pouco que possui todos os conhecimentos necessários.

Então, o grande desafio em Executar o Projeto não está propriamente em você executar, mas sim passar a informação adiante e garantir que todos estejam engajados com o mesmo resultado.

A motivação e engajamento da equipe começa logo na fase de Iniciação.

É comum os gestores ou líderes de projeto se fecharem em seus pensamentos e planos até a fase de executar o projeto, etapas em atrasos, inúmeras perguntas “obvias” e o sentimento de desanimo paira no ar.

Para uma Execução de projeto memorável você precisa iniciar o envolvimento da equipe desde o início. O ser humano fica MAIS MOTIVADO quando sente que faz parte do objetivo.

Mas se você seguiu todas as etapas anteriores a fase de Execução será muito mais fácil e divertida, mesmo que o projeto seja dos mais motivacionais.

Outro ponto importante para manter sua equipe no clima são as conversas individuais, principalmente as conversas informais, fora da sala de reunião.

O papo durante o cafezinho, muitas vezes me trazem muito mais informações importantes do que as chatas reuniões de acompanhamento (que veremos mais a diante na etapa #4 – Medir).

A informalidade de uma conversa faz com que a pessoa tire as armaduras e sejam mais sinceras, talvez haja algo errado que você não notou e ninguém teve coragem de lhe dizer na frente dos outros.

Outro ponto interessante nas conversas informais são as “ideias bobas”, que na verdade são geniais. Não sei nem dizer quantas foram as vezes que um simples bate papo rápido mudou totalmente o rumo de um projeto que eu liderava.

Acho que o café ajuda a fluir as ideias… 🙂

Quer conhecer outra dica fantástica que faz toda a diferença na execução do seu projeto?

Pergunte MUITO!

As perguntas abrem nossa mente para novos pontos de vista.

Questione a si mesmo:

  • Como irei melhorar a vida das pessoas com este projeto?
  • O que eu posso usar de novo? Algo único?
  • Onde posso reduzir custo? Tudo que estou prevendo gastar é, sem nenhuma dúvida, fundamental?

Responda a estas perguntas, as escreva em uma folha A4 e faça um pacto consigo mesmo.

Buscar estes objetivos farão que seu projeto, sua equipe e você tenham destaque constantes em todos os projetos.

Questione a equipe envolvida:

  • O que eles almejam aprender com este projeto?
  • Quais experiências de sucessos anteriores podem ser utilizadas neste novo projeto?
  • Quais os maiores erros cometidos no passado que devem ter a atenção redobrada?

Estas três respostas deverão estar presentes no detalhamento do projeto.

O impacto será maior se as três respostas estiverem no cabeçalho das suas reuniões de acompanhamento (durante a etapa #4 – Medir).

Estas três respostas farão uma conexão com a sua equipe, pois todos fizeram parte destes três objetivos, eles estarão muito mais propensos com o projeto.

Questione pessoas que não estejam ligadas ao projeto:

  • O que você faria no meu lugar?
  • Você já viu algo parecido? Mesmo que muito pouco parecido?
  • Quanto você pagaria por um produto (ou projeto) como este?

Todos os grandes empresários têm algo em comum, são questionadores, questionam a tudo e a todos. E o mais importante é, após a pergunta, SABER OUVIR, sem julgar, aprenda com a experiência dos outros!

Mesmo que as perguntas sejam para si mesmo, ouça atentamente o seu interior, suas lembranças e experiências para guia-lo em meio a seus objetivos.

E principalmente, acredite em seu sucesso, pois se você não estiver motivado, não espere que o restante da equipe esteja.

#4 – Medir – Estamos Indo Muito Rápido ou Muito Devagar?
Gerenciamento de projeto

“Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, não há sucesso no que não se gerencia”. –  William Edwards 

Não se pode melhorar o que não se pode medir. As unidades de medida fazem parte da história humana. Desde os primórdios o homem criou metodologia para saber a quantidade de itens, o comprimento ou o peso de algo.

Como saber o andamento do seu projeto se você não possui uma forma de medi-lo? Este é o que eu chamo de “ponto de flexão” de todo projeto. É onde se separa os aventureiros dos VERDADEIROS gestores.

Você pensa, planeja e está pronto para executar seu projeto, mas simplesmente não sabe como prever o que está dando errado, mas na verdade, os erros só ocorrem quando já é tarde demais e você precisa de um esforço enorme para corrigi-lo, não é mesmo? Então como prever que algo não anda como planejado?  

SIMPLES… Você mede o desempenho!

E a melhor forma para Medir o Desempenho do seu projeto é utilizando o Mapa de Gantt, isso mesmo, a mesma ferramenta utilizada na etapa de planejamento. O Mapa de Gantt é preparado para planejar e acompanhar o andamento do seu projeto

 

Para gerir seu projeto é fundamental ter formas eficazes de medição. Alguns profissionais consideram que as fases Executar e Medir são as mesmas, uma vez que elas são executadas em conjunto. Porém, trato este passo com tanta importância, que prefiro considerar uma etapa única.

Se você não quer chegar nesse ponto e ver seu projeto escoar em erros e atrasos através de seus dedos sem que você tenha controle, confira a seguir os métodos e ferramentas fundamentais para sua gestão.

As ferramentas disponíveis, tanto pagas quanto gratuitas, em sua grande maioria, possuem a função de linha de base.

Em Breve você verá aqui no Clube do Projetista como salvar a sua linha de base nas principais ferramentas disponíveis no mercado, por isso não deixe de cadastrar seu e-mail abaixo para receber nossas atualizações.

Mesmo que você ainda não saiba como salvar e utilizar a linha de base na ferramenta que está utilizando, ou caso esteja utilizando o Excel, acompanhar o seu projeto é fundamental.

Esteja próximo às equipes responsáveis pela execução. Você quer que seu projeto incrível caia em ruínas por falta de acompanhamento? Então cuide do que realmente importa!

Durante o acompanhamento do projeto utilizando o Mapa de Gantt, de todas as tarefas necessárias, a mais importante é atualizar o andamento do seu projeto.

Se atrasou, atualize seu cronograma e veja os impactos e tome as medidas necessárias É daí que surgem as necessidades de horas extras por exemplo.

Se levou menos tempo para ser executado, veja como reduzir custos, realocar parte da equipe para outro projeto que esteja necessitando mais atenção.

Gerir projetos baseia-se em pensar, planejar, agir e medirCom as medições fica fácil prever as necessidades, sem as medições a gestão não passa de palpites.

#5 – Finalizar – Mas Ainda Não Acabou?
Gerenciamento de projeto

Nadou e agora vai morrer na praia?

Desculpe iniciar este tema com uma péssima expressão, mas nós brasileiros somos danados para deixar algo por fazer e isso é desastroso.

O produto é entregue, é realizado a tão esperada reunião de fechamento, mas a documentação está devidamente arquivada? Todos os testes necessários foram realizados? O plano de entrega foi criado?

Mate agora todos os “por fazeres”. O projeto só acaba quando acaba!

Transforme o seu escopo num check-list, contendo todos os tópicos, solicitações e especificações. Reúna os principais envolvidos e repassem todos os pontos.

  • Todas as especificações foram atendidas?
  • Todos os documentos estão na última revisão?
  • Tudo foi testado?

Estas são algumas das perguntas que devem ser respondidas antes de prosseguir. Se não foram resolvidas, não prossiga!!!

Então hora de finalizar ! ( Ufa 🙂 )

Todo projeto tem de ser finalizado com o termo de aceitação. Este documento é utilizado para que seu cliente (seja ele interno ou externo) diga que tudo está conforme solicitação feita.

Em determinados casos este termo não é solicitado pelo seu cliente, se este for seu caso crie um você mesmo, em poucas palavras resuma o projeto, entre meia e uma página inteira normalmente é o suficiente.

Em seguida inclua o termo de aceitação.

Solicite uma reunião de fechamento, além de ser o momento de apresentar o termo de aceitação final, também é o momento de fazer um balanço do projeto. E enfim, chegamos ao Ponto Final. 

Parabéns!! Seus Projeto Foi um Sucesso

Pode não ser um plano perfeito, na verdade com certeza não o é, mas é simples, eficiente e garantido, pois eu mesmo sigo estas etapas a frente da minha equipe, e garanto que se você seguir estes passos você eliminará ou reduzira substancialmente os problemas citados no inicio do artigo.

Se inscreva abaixo   e fique por dentro de tudo o que acontece aqui, alem de receber conteúdos exclusivo.



Fabrício Leinat 
Fundador do Clube do Projetista

Projetista e Gerente de Projetos, atuou em projetos na Alemanha, Irlanda, Itália e Estados Unidos. Especialista em simulação numérica, cálculo estrutural e otimização de projetos, atua com os softwares Ansys, Matlab, Kissoft, Mathcad, SolidWorks, SolidWorks Simulation, SolidWorks Flow Simulation, Mode Frontier, Creo Parametric, Autocad e Scilab. 

PS: E se você chegou até aqui, talvez você seja um leitor que goste do nosso projeto e no minimo este artigo foi útil para você, então talvez você possa deixar um testemunho logo abaixo, falando sobre nosso projeto e sobre este artigo propriamente dito.

Compartilhe:
  • Ricardo Salviano

    Muito show o artigo Fabrício !!!
    Gostei muito da parte do cronograma.

    • Obrigado pelo comentário Ricardo!! São pequenas ações que fazem toda a diferença em um projeto, e principalmente com o mínimo de burocracia (eu odeio papelada rsrs). Abraço!!